A ordem e o progresso jamais nos representaram

O suor e o enfado consolidaram-se em nossos rostos.

Trabalhamos em dobro e recebemos somente desgostos.

Encenamos o ato mais perigoso : enquanto uns vivenciam 

a penúria da existência, outros beneficiam-se da ocultação de evidências.

Já não suportamos : um dia é pior do que outro.

Somos marionetes de marionetes que fazem-nos olvidar

de toda a profilaxia, acatar suas ideologias supremacistas

e observar nossos irmãos falecendo de asfixia.

E aqui vislumbramos o que a truculência federal nos destina : 

almejamos com veemência as vacinas, todavia ainda teremos 

de pagar ao Executivo insulina e Hidroxicloroquina. 

Podemos estimar o quanto a doentia idolatria os fascina?! 

Senhorita Reprimida, Brasília (DF)