Brasilia – A PALAVRA NO AGORA

Ferramentas para ritualizar, expressar e comunicar a dor para o alento

Exibindo: 1 - 7 de 7 RESULTADOS
Escritos do público

Senhorita Reprimida

Infância e crueldade – Dia das Crianças Este momento foi tão aguardado Os sentimentos intensamente alimentados Me recordo de ter pensado : se até os adultos são parabenizados, por que eu não seria? Ó, e como a esperança persistia, todavia a alegria se esvaía… E então finalmente raciocinei : me tornei somente uma lembrança. Como …

Escritos do público

Senhorita Reprimida

As veracidades da existência  Há momentos em que me torno uma pessoa malvada  Somente esbravejo e praguejo quem mais me ama  Logo me encontro na mais ardente chama  E estes olhos derramam lagoas salgadas  Analiso minha conduta e percebo como a loucura machuca quem dela desfruta…  Simples reflexões geram tenebrosas decepções  Desculpas já não podem …

Sem categoria

Senhorita Reprimida

Dia dos pais em perspectiva biológica  Talvez seja digna de piedade, todavia recebe somente crueldade.  Por que sentir empatia por aquela que esbanja anomalia?  A menina foi abandonada por aparentar orgulho, esperto o papai que juntou a fracassada ao entulho.  E nas precárias visitas que a repugnante lhe fazia, sumia de seu pai a abundante …

Escritos do público

Senhorita Reprimida

A dubitável trajetória  Sinto-me completamente apavorada  A sentença de morte nos foi dada  E diante de uma situação deplorável  Concebo o quanto o ser humano é descartável  Pois ainda que alguém deseje morrer  Na verdade pensa que isso jamais irá ocorrer  Sendo que o real almejo é parar de sofrer  É burlesco procurarmos esquecer o …

Escritos do público

Senhorita Reprimida

Paradoxo social  No pico da perfeição há uma junção dissimulada  É cômico como essa trupe da alienação está tão sincronizada  Suas imitações visam a destruição das derrotadas inspirações  Porém humilhações não são suficientes para aprisionadas mentes eloquentes  Divertem-se roubando peculiaridades enquanto procuram por suas próprias identidades. Contem-me criaturas atarefadas : no que lhes posso servir?  …

Escritos do público

Senhorita Reprimida

O mito do pertencimento vital A vida a ninguém pertence, nenhum membro da sociedade pode alegar possuir essa preciosidade. O suicídio é abominado, os suicidas são desprezados e os doentes forçados a sobreviver em um mundo permeado de mentiras, intrigas e críticas satíricas ofertadas por seus próprios pátrios. As instituições são as verossímeis proprietárias das …

Escritos do público

Senhorita Reprimida

Apenas mais um dia   Inúmeras vidas representam a vagarosa pandemia  Enquanto imploramos pela valiosa alforria   Os prantos são saboreados pelos representantes  E então se aprimora o êxito da corrupção   Tentamos lutar pela liberdade de expressão  Entretanto não há demora, vozes são caladas em instantes  Como o caos já se estabeleceu, um sonho sucedeu para abrandar …