PR – A PALAVRA NO AGORA

Ferramentas para ritualizar, expressar e comunicar a dor para o alento

Exibindo: 1 - 10 de 12 RESULTADOS
Escritos do público

Tere Tavares

A impermanência se faz presente a cada momento.  A vida é dinâmica e isso a torna surpreendente. A cada despertar, ao abrir a porta, eu vejo o jardim trazendo novos matizes, seja numa roseira com novos botões ou num hibisco menos esverdeado [converso longamente com ambos] – inverno, primavera, não importa a estação – isso …

Escritos do público

Tere Tavares

Nas arquiteturas do tempo, nada é definitivo. Nem mesmo a morte. Vigio o ar que me espera lá fora. Onde  tudo é ameaça, desespero, angústia. Ultrapasso as horas, as extremas demoras. Permaneço movendo-me na sacralidade, na meditação cadenciada e inclemente. Leio, escrevo para reordenar a fala e silenciar o receio. A pergunta é um até …

Escritos do público

Nohêmia Santos Lima

Hoje eu queria tudoMas ainda em quarentenaOlho em volta e vejo nada. E é tão pouco esse meu tudoSimplesmente é ir pra ruaIr andando, ir parandoUm café, um vitrineTalvez um vestido novoUm enfeite pro cabelo.Jogar fora está máscaraColocar batom vermelho. Se meu tudo é querer muitoAbdico do vestidoDo enfeite pro cabelo. O que eu quero …

Escritos do público

Tere Tavares

A liberdade. Como gostaria de respirá-la nesse violino recluso. Um novo despertar se faz necessário. O silêncio sobrevoa as árvores e se planta, pacificamente, nos cômodos da casa. Parece não haver nada para sustentar a geografia humana tão fragilizada nesses tempos doentios. Dentro de tudo sustenta-se um futuro sombrio e oco. Qual o momento? Qual …

Escritos do público

Tere Tavares

As janelas. Ainda nos sobram as janelas para abrandar a dor das incertezas. Das máscaras que sobram e faltam nas ruas. Não atinamos onde o perigo é maior, em que partícula do ar se esconde a atrocidade que poderá nos tirar o fôlego, a vida. Estamos retidos e retintos de nós mesmos. Já se passaram …

Escritos do público

Kelly Mendonça

Angústia pandêmica Vou dormir desejando que o dia seguinte seja diferente. Acordo e tenho mais do mesmo. Pego uma planta, cuido, vejo crescendo. E a pandemia continua. Compro livro, leio o livro, resenho, e a porta continua fechada. Escolho um móvel, monto e uso, e a rua continua interditada. Vejo vídeo de receita, aprendo e …