Escritos do público – Página: 2 – A PALAVRA NO AGORA

Ferramentas para ritualizar, expressar e comunicar a dor para o alento

Exibindo: 11 - 20 de 226 RESULTADOS
Escritos do público

Lucinália

VIVER  Viver é brincar e sonhar É estar junto de quem a gente gosta É brincar de fazer aposta É fazer uma receita E correr o risco de não sair perfeita É sonhar com a perspectiva de realizar É não desistir de sorrir e persistir É crescer com a certeza de que iremos vencer Lucinália, …

Escritos do público

Nazareth Lemos Maldonado Peres

A DIFÍCIL QUARENTENA DE 2020   Por conta da pandemia e do Covid-19, estamos em quarentena.   E ela está sendo uma escola dura.   Estou relativamente no controle.   Na verdade, um tanto “descontrolada”.   Sono mais difícil. Rotina chatinha.   Pouca leitura de livros. Não consigo me concentrar.   Estou relendo aos poucos, poesias dos meus autores preferidos.   Tenho vários …

Escritos do público

NP

Escrevo no agora, Com todas as desesperanças que carrego no peito Todos os dias uma luta Travo no espelho Pego o que me resta e encaro Um mundo de ponta cabeça Penso que se ardo, Falho Tento consertar para não me perder Mas talvez seja difícil demais Estar viva e não poder viver. NP, Salto …

Escritos do público

Maria Teresa Freire

A REBELIÃO DO ARMÁRIO Entrei no quarto silencioso e escuro. Pretendia acender a luz quando ouvi sussurros. Espreitei, tentei entender o som, que às vezes recrudescia. Mantive a escuridão e dei mais alguns passos que me levaram em direção ao armário. Como assim? Alguém dentro do armário?  Que barulhos abafados eram aqueles?  Aproximei-me mais ainda …

Escritos do público

Kassia Regina Ribeiro da Rosa

Fugacidade Ah, tempo…tempo! tempo de escutas… de olhares… de falares entrecortados… pelas máscaras físicas e psicológicas… Mordaças?!!! Serão??? Reflexões…surgiram e surgirão! O ser que surge se vislumbra nas inquietudes da alma e na alma! Viva o homem fugaz  dos extermínios, que a ti  procura ferozmente! Kassia Regina Ribeiro da Rosa, Caieiras (SP)

Escritos do público

Sandra Mara

Da vidraça empoeirada Vejo a vida passeando na calçada Vejo a lua beijando o sol Vejo as asas do vento tocando a esperança E vejo meus sonhos flutuando nas nuvens Fazendo cócegas no céu Estamos confinados em nós mesmos, mas a esperança deve prevalecer.  No futuro, cada um deverá limpar sua janela para ver a …

Escritos do público

Eliege Reis

Solidão Amanhã irei embora. No teu mundo já não tenho mais espaço. Me traíste com outro alguém. Amanhã irei embora. Levarei comigo tudo o que eu trouxe. Os questionamentos, tristezas, incertezas e as dores. Cabem tudo em uma mala. É pesada, mas não consigo carregar mais que isso. Levo apenas o que eu trouxe. Amanhã …