Escritos do público – Página: 2 – A PALAVRA NO AGORA

Ferramentas para ritualizar, expressar e comunicar a dor para o alento

Exibindo: 11 - 20 de 187 RESULTADOS
Escritos do público

Eclarice

Pandemia: era uma vez uma noite Sou fã e assídua assistente das lives de um Museu. Em junho assisti uma live sobre o Barroco que me deixou muito interessada em aprender mais sobre o assunto e, como no final o professor comentou sobre um curso que seria anunciado nos próximos dias, aguardei ansiosamente. Um certo …

Escritos do público

Susan Gerber-Barata

Se nóis pega, nóis doma ou Parabéns, você está usando máscara! Era para ser uma foto só, documental, divertida. Flagrada na loja agropecuária, uma boneca de camisa xadrez usou uma máscara e boné. Não sei que diabo me cavalgou! De repente a escrita no boné pulou em mim: “Se nóis pega, nóis doma….”. De imediato …

Escritos do público

Mariana Sofia de Oliveira Santos

Distanciamento social: recapitulação emocionalNo decorrer da história, podemos analisar como cada acontecimento afetou a sociedade, a política e a economia no âmbito internacional.Muito além, acontecimentos históricos têm como intuito tocar o interior da população, seja em escala nacional ou até mesmo mundial, podendo tomar como exemplo o mundo pós 2ª guerra, o nível de complacência …

Escritos do público

Tarsila Silva

Você deve estar pensando: o que é isso na nossa boca?Não deixa ver o sorrisoIsso é para sua proteçãoPara enfrentar o Covid-19 é bom lavar a mãoÉ para sua proteçãoMesmo que não dê para ver o sorriso dá pra sentir no coraçãoPorque isso é para sua proteçãoNão pode ir para dentro da casa do amiguinhoEu …

Escritos do público

Nohêmia Santos Lima

Hoje eu queria tudoMas ainda em quarentenaOlho em volta e vejo nada. E é tão pouco esse meu tudoSimplesmente é ir pra ruaIr andando, ir parandoUm café, um vitrineTalvez um vestido novoUm enfeite pro cabelo.Jogar fora está máscaraColocar batom vermelho. Se meu tudo é querer muitoAbdico do vestidoDo enfeite pro cabelo. O que eu quero …

Escritos do público

Rozana Gastaldi Cominal

Agosto Nunca vem a gosto de Deus, me perdoem. Parece sim uma rebelião no céu, no inferno, um transtorno por onde se passa. É ventania abusada  que tira tudo do lugar, folhas em desalinho arfam pela área recém cuidada e eu, irritada, pela desarrumação. Vento valentão insufla o peito, por todos os cantos assopra poeira …