Escritos do público – Página: 3 – A PALAVRA NO AGORA

Ferramentas para ritualizar, expressar e comunicar a dor para o alento

Exibindo: 21 - 30 de 299 RESULTADOS
Escritos do público

Senhorita Reprimida

Infância e crueldade – Dia das Crianças Este momento foi tão aguardado Os sentimentos intensamente alimentados Me recordo de ter pensado : se até os adultos são parabenizados, por que eu não seria? Ó, e como a esperança persistia, todavia a alegria se esvaía… E então finalmente raciocinei : me tornei somente uma lembrança. Como …

Escritos do público

Senhorita Reprimida

Expectativa Idealizada   Seus olhos avistavam o ideal  Óbitos lhe são apenas fatos da vida real  Por que se importar com um “surto” viral?  É só mais uma gripezinha, está tudo normal!  Suas ideologias representam a veracidade.  Discordou? Então o que lhe falta é lealdade!  Seu povo é a motivação de sua existência,  então o que …

Escritos do público

Senhorita Reprimida

As veracidades da existência  Há momentos em que me torno uma pessoa malvada  Somente esbravejo e praguejo quem mais me ama  Logo me encontro na mais ardente chama  E estes olhos derramam lagoas salgadas  Analiso minha conduta e percebo como a loucura machuca quem dela desfruta…  Simples reflexões geram tenebrosas decepções  Desculpas já não podem …

Escritos do público

Senhorita Reprimida

A dubitável trajetória  Sinto-me completamente apavorada  A sentença de morte nos foi dada  E diante de uma situação deplorável  Concebo o quanto o ser humano é descartável  Pois ainda que alguém deseje morrer  Na verdade pensa que isso jamais irá ocorrer  Sendo que o real almejo é parar de sofrer  É burlesco procurarmos esquecer o …

Escritos do público

Senhorita Reprimida

Paradoxo social  No pico da perfeição há uma junção dissimulada  É cômico como essa trupe da alienação está tão sincronizada  Suas imitações visam a destruição das derrotadas inspirações  Porém humilhações não são suficientes para aprisionadas mentes eloquentes  Divertem-se roubando peculiaridades enquanto procuram por suas próprias identidades. Contem-me criaturas atarefadas : no que lhes posso servir?  …

Escritos do público

Senhorita Reprimida

O mito do pertencimento vital A vida a ninguém pertence, nenhum membro da sociedade pode alegar possuir essa preciosidade. O suicídio é abominado, os suicidas são desprezados e os doentes forçados a sobreviver em um mundo permeado de mentiras, intrigas e críticas satíricas ofertadas por seus próprios pátrios. As instituições são as verossímeis proprietárias das …

Escritos do público

Mariana Stefani

Janelas Olho pela janela e penso: Não aguento mais ser eu. Olho para dentro e penso: Minhas antigas palavras não dão mais conta de descrever o que vejo. Olho para o espelho e espero Que quem está do outro lado, só para variar, não seja eu. Estar no auge do meio do caminho torna difícil …